Print This

Oral

Distinguido      |      Superior      |      Avançado      |      Intermediário      |      Principiante

Preámbulo

Os Guias de Proficiência Linguística Oral da ACTFL 2012 descrevem os cinco principais níveis de habilidade funcional da comunicação oral: Distinguido, Superior, Avançado, Intermediário e Principiante. A descrição de cada um dos níveis representa uma gama específica de habilidades. Juntos, estes níveis formam uma hierarquia na qual cada nível inclui todos os níveis subjacentes. Os níveis principais (Avançado, Intermediário e Principiante) estão divididos em três sub-níveis: Alto, Médio e Baixo.

Os Guias descrevem as funções que os  falantes podem realizar em cada nível, bem como o conteúdo, o contexto, a precisão e o tipo de discurso relacionados com as funções de cada nível. Além disso, apresentam as limitações que os falantes encontram ao tentarem funcionar no nível imediatamente acima do seu.

Estes Guias podem ser usados para avaliar o discurso interpessoal (interativo, ou seja, a comunicação entre pessoas) ou de apresentação (não interativo, isto é, unidirecional).

As descrições escritas de proficiência oral, bem como as mostras do discurso correspondente, encontram-se “online” e ilustram as características de cada nível principal.   

Os Guias de Proficiência Linguística Oral da ACTFL 2012 poderão ser somente utilizados com objetivos educacionais e sem fins lucrativos, contanto que sejam reproduzidos na sua totalidade, sem alterações e atribuindo o devido crédito à ACTFL.


DISTINGUIDO

Os falantes do nível Distinguido podem usar a língua habilmente, com precisão, eficiência e eficácia.  São falantes cultos e bem articulados. Podem refletir sobre uma ampla gama de assuntos globais e conceitos altamente abstratos de maneira culturalmente apropriada.  Os falantes do nível Distinguido podem usar discurso persuasivo e hipotético com o propósito de representação, o que lhes permite defender um ponto de vista que não seja necessariamente o seu. Podem modificar a sua linguagem perante vários tipos de público, adaptando o seu discurso e registro de acordo com normas culturalmente autênticas.

Os falantes do nível Distinguido constrõem seus argumentos em discurso extenso altamente sofisticado e rigorosamente estruturado.  Ao mesmo tempo, podem ser sucintos, usando frequentes referências culturais e históricas que lhes permitam expressar mais, com menos palavras. Neste nível, o discurso oral se assemelha tipicamente ao discurso escrito.

Pronúncia ou sotaque estrangeiros, falta de economia de expressão característica do discurso nativo, controle limitado de referências culturais e/ou eventuais erros linguísticos isolados poderão ainda estar presentes neste nível.


SUPERIOR

Os falantes do nível Superior podem se comunicar com precisão e fluidez a fim de participar, completa e eficazmente, de conversas sobre uma variedade de temas em contextos formais e informais com perspectivas tanto concretas quanto abstratas. Discutem seus interesses e campos de especialidade, exploram temas complexos de forma detalhada, produzindo narrações longas e coerentes, com facilidade, fluidez e precisão.  Apresentam suas opiniões sobre uma variedade de assuntos de interesse pessoal, tais como temas sociais e políticos, oferecendo argumentos estruturados para fundamentar as suas opiniões.  Podem construir e desenvolver hipóteses para explorar possibilidades alternativas.

Quando apropriado, estes falantes usam discurso extenso, sem hesitações longas ou forçadas, para expôr o seu ponto de vista, mesmo quando envolvidos em elaborações abstratas. Este discurso, embora coerente, pode entretanto conter influência de padrões linguísticos diferentes da língua-alvo. Os falantes do nível Superior utilizam uma variedade de estratégias interativas e discursivas, como por exemplo, na tomada da palavra  e na separação das idéias principais da informação secundária, através do emprego de recursos sintáticos, léxicais e fonéticos.

Os falantes do nível Superior não exibem padrões de erros no uso de estruturas básicas, embora possam cometer erros esporádicos, principalmente em estruturas de uso pouco frequente e em estruturas complexas de alta freqüência.  Caso ocorram, estes erros não irão distrair o interlocutor nem dificultar a comunicação.

 

View sample


AVANÇADO

Falantes do nível Avançado conversam de uma maneira claramente participativa para comunicar informação sobre temas autobiográficos, assim como temas de interesse comunitário, nacional ou internacional. Os tópicos são tratados de maneira concreta, através de narrações e descrições no presente, no passado e no futuro. Estes falantes podem também lidar com uma situação social contendo uma complicação inesperada. A língua do falante de nível Avançado é abundante, onde a extensão e o discurso do parágrafo oral caracterizam a medida do nível Avançado. Os falantes deste nível possuem controle suficiente das estruturas básicas e do vocabulário genérico de modo a serem compreendidos pelos falantes nativos da língua, inclusive pelos nativos que não estão acostumados a lidar com estrangeiros. 

Avançado Alto

Os falantes do sub-nível Avançado Alto desempenham todas as funções linguísticas do nível Avançado com facilidade, confiança e competência. Podem explicar em detalhe e narrar na íntegra e com precisão, consistentemente, em todos os tempos verbais.  Além disso, os falantes do Avançado Alto manipulam as funções do nível Superior, porém não conseguem sustentá-las neste nível em uma variedade de tópicos.  Embora possam oferecer um argumento estruturado para fundamentar as suas opiniões e até articular hipóteses, padrões de erros são sistemáticos. Podem discutir alguns temas de forma abstrata, especialmente os que estejam relacionados aos seus interesses pessoais e de áreas da sua experiência.  Mas, em geral, estão mais  cômodos ao discutir uma variedade de temas de forma concreta.

Os falantes do sub-nível Avançado Alto podem demonstrar habilidade bem evoluída para compensar o controle imperfeito de algumas formas ou das suas limitações léxicas, com o uso de estratégias comunicativas como por exemplo: a paráfrase, a circumlocução e o uso de ilustrações e/ou exemplos. Usam vocabulário preciso e entoação para expressar as suas intenções e/ou ideias demonstrando freqüentemente uma fluência elevada e facilidade de expressão. No entanto, quando  é necessário que desempenhem funções complexas, numa variedade de tópicos, associadas ao nível Superior o seu discurso às vezes colapsa ou se torna inadequado; em outros casos, os falantes deste nível evitam  totalmente o uso da função, buscando, por exemplo, a simplificação através do uso da descrição ou da narração ao invés do argumento ou da hipótese.

  

Avançado Médio

Os falantes do sub-nível Avançado Médio podem desempenhar com facilidade um grande número de funções comunicativas. Participam ativamente da maioria de trocas informais de idéias e algumas conversas formais sobre uma variedade de assuntos concretos relacionados ao trabalho, à escola, à casa e às atividades de lazer, bem como assuntos atuais de interesse público ou pessoal.

Os falantes do Avançado Médio demonstram a habilidade de narrar e descrever de forma completa no presente, passado e futuro com bom controle de expressão. A narração e a descrição tendem a ser combinadas e entrelaçadas para relatar fatos relevantes e informação subjacente em discurso integrado e em forma de parágrafo.

Os falantes do Avançado Médio podem resolver com sucesso e relativa facilidade os desafios linguísticos apresentados por uma complicação ou mudança inesperada num contexto de uma situação comunicativa de rotina  relacionada com  a sua experiência.  Estratégias comunicativas tais como a circumlocução ou a paráfrase são frequentemente empregadas com este propósito.  O discurso dos falantes do Avançado Médio, quando desempenhando funções do nível Avançado, se caracteriza por muita fluidez. Seu vocabulário é bastante extenso, embora essencialmente genérico, com a exceção de uma àrea específica de especialização ou interesse. O seu discurso poderá ainda refletir a estrutura do parágrafo oral da sua própria língua ao invés da estrutura da língua-alvo.      
Os falantes do Avançado Médio contribuem para a conversa em uma variedade de temas conhecidos, articulados de maneira concreta, com bastante precisão, clareza e exatidão, podendo transmitir a mensagem pretendida sem subterfúgios ou confusão. São facilmente e bem  compreendidos pelos falantes nativos da língua, que não estão acostumados a lidar com estrangeiros. Em geral, quando chamados a realizar funções ou a lidar com temas relacionados com o nível Superior, a qualidade e a quantidade do seu discurso declinam.

Avançado  Baixo

Os falantes do sub-nível Avançado Baixo podem produzir uma variedade de tarefas comunicativas. Podem participar da maior parte das conversações informais e de algumas formais  sobre temas relacionados com a escola, a casa e as atividades de lazer.  Podem também falar sobre temas relativos ao trabalho, a assuntos da atualidade e de interesse público e comunitário.

Os falantes do Avançado Baixo demonstram a habilidade de narrar e descrever em forma de parágrafo, no presente, passado e futuro, com algum controle de aspecto.  Nestas narrações e descrições, os falantes do Avançado Baixo combinam e entrelaçam as orações em discurso conectado e em forma de parágrafo, apesar de demonstrarem tendência a produzir estas narrações e descrições separadamente ao invés de integrá-las.  Manipulam os requisitos linguísticos essencias para resolver os desafios apresentados por uma complicação ou uma mudança inesperada no curso dos acontecimentos.  

Tipicamente, as respostas produzidas pelos falantes do  Avançado Baixo não passam de um único parágrafo. Sua língua dominante pode se tornar evidente no uso de cognatos falsos, traduções literais ou na estrutura do parágrafo utilizada nessa língua.  Às vezes, seu discurso poderá ser mínimo para o nível, evidenciado por uma fluidez irregular e pelo uso da autocorreção. Geralmente, o desempenho dos falantes do sub-nível Avançado Baixo tende a ser irregular.

O discurso do Avançado Baixo é tipicamente marcado por uma certa aspereza grammatical (por exemplo, controle inconsistente das desinências verbais); no entanto, o desempenho geral das funções do nível  Avançado é mantido, embora minimamente. O vocabulário dos falantes do  Avançado Baixo carece precisão.  Entretanto, os falantes do  Avançado Baixo podem usar estratégias comunicativas tais como a paráfrase e a circumlocução.

Os falantes do Avançado Baixo contribuem para a conversação com clareza, precisão e exatidão suficentes para comunicar a mensagem pretendida sem mal entendidos ou confusão. Os falantes nativos desacostumados a lidar com estrangeiros compreendem o seu discurso, embora haja necessidade de alguma repetição ou reformulação. Ao tentar realizar funções ou lidar com temas relacionados do nível Superior, a qualidade e quantidade linguística do seu discurso deteriora significantemente.

 

View sample


INTERMEDIÁRIO

Os falantes do nível Intermediário se distinguem principalmente por sua habilidade de criar com a língua ao falar sobre temas conhecidos relacionados com o seu dia a dia. Podem recombinar material aprendido para expressar a sua mensagem pessoal.  Os falantes do nível Intermediário podem formular perguntas simples e resolver uma situação simples de sobrevivência. Produzem desde frases discretas até cadeias de frases, caracteristicamente no presente. Os falantes deste nível são compreendidos por interlocutores acostumados a tratar com aprendizes não nativos da língua.

Intermediário Alto

Os falantes do sub-nível Intermediário Alto podem conversar com facilidade e confiança e lidar com funções rotineiras e situações sociais do nível Intermediário. Podem usar com êxito funções simples e lidar com situações sociais que requerem troca de informação simples relacionada com o trabalho, a escola, interesses especiais, e áreas de sua competência.

Os falantes do Intermediário alto podem lidar com um elevado número de funções associadas ao nível Avançado, porém não conseguem sustentar constantemente o desempenho de todas estas funções. Os falantes do Intermediário Alto podem narrar e descrever em todos os tempos (presente, passado e futuro) em discurso conectado e em forma de parágrafo, porém não todo o tempo. Tipicamente,  quando estes falantes do Intermediário Alto tentam realizar funções do nível Avançado, o seu discurso exibe uma ou mais características de desintegração linguística, como por exemplo a inabilidade de completar uma narração ou uma descrição no plano temporal apropriado, a incapacidade de manter um discurso em forma de parágrafo, ou uma redução na amplitude do conteúdo e do vocabulario apropriado.

Os falantes do Intermediário Alto podem geralmente ser compreendidos por falantes nativos desacostumados a se comunicar com estrangeiros, embora a interferência de outra língua esteja presente (por exemplo: mudança de código  linguístico,  cognatos falsos e traduções literais).

Intermediário Médio

Os falantes do sub-nível Intermediário Médio podem usar  com sucesso  uma variedade de funções linguísticas, sem complicações, em situações sociais simples. A conversa geralmente se limita a trocas de informações previsíveis, concretas e necessárias para a sobrevivência na cultura-alvo. Incluem-se nessas conversações:  informação pessoal relacionada consigo mesmo, a família, o lar, as atividades diárias, interesses e preferências pessoais, além de necessidades físicas e sociais, tais como alimentação, compras, viagens e alojamento.  

Os falantes do Intermediário Médio tendem a funcionar de maneira reativa como, por exemplo, ao responder a perguntas diretas ou pedidos de informação. Porém, podem formular uma variedade de perguntas, quando necessário, para obter informação simples a fim de satisfazer suas necessidades básicas, tais como instruções, preços e serviços. Quando enfrentam situações que exigem funções e tratam de temas do nível Avançado, oferecem alguma informação mas têm dificuldade em conectar ideias, manipular formas temporais e aspecto bem como utilizar estratégias linguísticas como a circumlocução.

Os falantes do Intermediário Médio podem expressar as próprias ideias ao criar com a língua, em parte combinando e recombinando elementos conhecidos e a contribuição (entradas conversacionais) do interlocutor à conversação para produzir respostas tipicamente caracterizadas por frases e cadeias de frases.  Seu discurso pode conter pausas, reformulações e autocorreção para buscar o vocabulário adequado e as formas linguísticas apropriadas para se expressar.  A pesar das limitações de vocabulário e/ou da pronúncia, e/ou da gramática, e/ou da sintaxe, os falantes do Intermediário Médio são geralmente compreendidos por interlocutores compreensivos e acostumados a lidar com estrangeiros.

Em geral, os falantes do Intermediário Médio se sentem à vontade ao desempenhar as funções do nível Intermediário, realizando-as com considerável facilidade e quantidade características do nível.

Intermediário Baixo

Os falantes do sub-nível Intermediário Baixo podem lidar satisfatoriamente com um número limitado de funções linguísticas simples ao criar com a língua em situações sociais diretas. A conversação se limita  ao intercâmbio concreto de temas previsíveis, necessários para a sobrevivência na cultura da língua-alvo. Estes temas consistem de informação pessoal básica.  Por exemplo, informação a respeito de si mesmo  si e sobre a família, algumas atividades diárias e preferências pessoais, necessidades imediatas como pedir comida e fazer compras simples. No sub-nível Intermediário Baixo, os falantes são principalmente reativos e se esforçam para responder a perguntas diretas ou a pedidos de informação. Também podem fazer algumas perguntas apropriadas.  Os falantes do Intermediário Baixo sustentam minimamente as funções do nível Intermediário.

Os falantes do Intermediário Baixo expressam seus pensamentos pessoais ao combinar e recombinar o que sabem e o que ouvem de seus interlocutores em declarações curtas e frases discretas.  As suas respostas são frequentemente cheias de hesitação e imprecisões enquanto  buscam formas linguísticas e vocabulário apropriado na tentativa de dar forma à mensagem.  Sua linguagem se   caracteriza por pausas frequentes, reformulações  ineficientes e autocorreções.  A pronúncia, o vocabulário e a sintaxe são fortemente influênciados pela sua primeira língua.  Apesar  dos frequentes mal entendidos que podem requerer repetição ou reformulação, geralmente os falantes do Intermediário Baixo podem ser compreendidos  por interlocutores compreensivos, especialmente pelos que estão acostumados a lidar com estrangeiros.

 

View samples


PRINCIPIANTE

Os falantes do Nível Principiante podem comunicar mensagens curtas sobre temas quotidianos altamente previsíveis e que os afetam diretamente. Realizam estas atividades principalmente através do uso de palavras discretas e frases que tenham encontrado, memorizado ou relembrado.  Os falantes do nível Principiante podem ser difíceis de compreender mesmo por interlocutores compreensivos e acostumados a comunicarem-se com estrangeiros.

Principiante Alto

Os falantes do sub-nível Principiante Alto podem lidar com uma variedade de funções do nível Intermediário, porém são incapazes de sustentar o desempenho no nível Intermediário. Podem produzir com êxito um número de funções linguísticas simples em situações sociais simples. A conversação se limita a uns poucos temas previsíveis necessários para a sobrevivência na cultura da língua-alvo, como informação pessoal básica, artigos básicos e um número limitado de atividades, preferências e necessidades imediatas.  Os falantes do Principiante Alto podem fazer umas poucas perguntas habituais através de fórmulas aprendidas.

Os falantes do Principiante Alto são capazes de expressar mensagens pessoais  contando com o apoio das frases aprendidas ou combinações do que escuta do seu interlocutor.  A sua linguagem consiste principalmente de orações curtas no presente, e às vezes incompletas, com possíveis hesitações e erros.  Por outro lado, como a sua linguagem constitui, frequentemente, expansões do material aprendido e frases feitas, o seu discurso  pode parecer, em alguns casos, surpreendentemente fluido e preciso. A pronúncia, o vocabulário, e a sintaxe podem apresentar forte influência da primeira língua.  Frequentes mal entendidos podem ocorrer, mas com repetição ou paráfrase, os falantes do nível Principiante Alto conseguem, geralmente, ser compreendidos por interlocutores compreensivos acostumados a lidar com estrangeiros. Quando se torna necessário lidar com uma variedade de temas e realizar funções relacionadas com o nível Intermediário, o Principiante Alto pode às vezes responder com frases inteligíveis, mas não conseguirá sustentar o discurso a nível de frase.

Principiante Médio

Os falantes do sub-nível Principiante Médio se comunicam minimamente através do uso de um número de palavras isoladas e frases memorizadas, limitadas ao contexto específico em que aprenderam a língua.  Ao responder a perguntas diretas, podem dizer somente duas ou três palavras ou dar  ocasionalmente uma resposta aprendida. Pausam frequentemente enquanto procuram vocabulário simples, ou tentam reciclar as suas palavras ou as palavras do seu interlocutor.  Os falantes do Principiante Médio podem ser entendidos com dificuldade por interlocutores compreensivos acostumados a lidar com estrangeiros.  Quando necessitam lidar com temas e funções associadas ao nível Intermediário, recorrem frequentemente à repetição, a palavras da sua língua nativa ou ficam em silêncio.

Principiante Baixo

Os falantes do sub-nível Principiante Baixo não têm  capacidade linguística real e, devido à sua pronúncia, podem ser ininteligíveis.  Com tempo suficiente e indicações, com as quais estejam familiarizados, talvez possam trocar saudações, fornecer a sua identidade, nomear alguns objetos conhecidos do seu meio imediato. Não conseguem desempenhar funções ou lidar com tópicos pertencentes ao nível Intermediário, não podendo, portanto, participar de uma verdadeira troca de comunicação.

 

View sample